Facebook lança guia para criar melhores conexões de marca com as gerações Z e milênio

Confira as dicas para mostrar a sua marca para esse público

Débora Rodrigues

À medida que as gerações mais jovens começam a ter poder de compra, é responsabilidade das marcas e varejistas tomar medidas agora para garantir uma conexão com elas no futuro. Sua joalheria pode ter uma estratégia de mídia social no momento, mas quanto tempo vai durar?

Enquanto plataformas como o Instagram atraem um público de todas as idades, diferentes segmentos o usam de maneira variada: alguns se conectando com amigos por meio de mensagens diretas, outros criando e visualizando mais conteúdo por meio de Stories ou IGTV, e outros apenas usando o aplicativo, acessando o feed e vendo melhor uma ou duas imagens. E aí está a necessidade de ter um plano diferenciado, a fim de melhor se conectar com seus compradores, independentemente da geração que eles representam.

Segundo a empresa de consultoria Accenture, a geração do milênio e a geração Z estão projetadas para representar 30% das vendas no varejo em 2020. Em um estudo encomendado pelo Facebook, os varejistas podem obter um pouco mais de informações sobre como se conectar melhor a eles nas redes sociais. Adiantamos aqui alguns dos pontos mais relevantes.

A transparência é importante. De acordo com a análise do Facebook, é mais provável que uma geração mais jovem de compradores esteja aberta a marcas que levam em consideração seus valores e oferecem experiências personalizadas. Diz-se que a geração Z, em particular, é atraída por marcas que não apenas compartilham os mesmos valores, mas tomam medidas adicionais para contribuir com a sociedade também. O Facebook sugere que as marcas sejam abertas sobre o que elas representam – de acordo com o estudo da Accenture, os Gen Zs são mais propensos do que o consumidor médio a recomendar uma marca para outras pessoas se compartilharem os mesmos valores, e são até 1,5 vezes mais prováveis para compartilhar esse incentivo nas mídias sociais.

A comunicação é importante. Enquanto a geração Z e a geração do milênio apreciam experiências personalizadas da marca, cada uma prefere recebê-las de maneira diferente – e as gerações mais jovens gostam de proteger seus dados pessoais. A geração do milênio valoriza o suporte ao cliente personalizado e proativo, enquanto a geração Z prefere interações sociais personalizadas por meio de uma troca direta com as marcas. Diz-se que a geração do milênio fica mais tranquila ao compartilhar suas informações financeiras (ou seja, um cartão de crédito armazenado em um site) para oferecer suporte a uma experiência, enquanto esse método não é bem aceito pela geração Z. E os millennials parecem ser bem menos propensos a compartilhar seu histórico.

Para aplicar já em suas redes sociais!

Então, o que isso significa para a sua estratégia se você deseja atingir um público mais jovem? Aqui estão algumas coisas a ter em mente:

Mostre sua marca –  Se sua marca representa algo, mostre. Preste atenção às diferenças entre ser informativo e atrair vendas. Seja autêntico, conte uma história sobre por que produtos fabricados de maneira sustentável (ouro ou diamantes) são tão importantes para você. Seja qual for o motivo pelo qual você tem algum diferencial de valor, compartilhe-o.

Envolva seu público – Isso requer mais do que um toque duplo e um “coração” nos comentários. Responda a todas as perguntas e comentários da maneira mais oportuna possível. Se você foi marcado em uma foto, comente e compartilhe-a em suas histórias ou em seu feed (com permissão do pôster original).

Humanize sua marca – Lembre-se de que, por trás de toda marca, existe um humano – ou melhor, muitos! Desde os programas de uma pessoa executando tudo, até as grandes marcas que contratam outra pessoa para administrar seus canais sociais, ambas são operadas por seres humanos, apenas em escalas diferentes. Não se esconda atrás de uma marca, antes, seja incrível. Agora que a mídia social oferece a capacidade de fazer muitas compras no aplicativo, essas conexões podem ser ainda mais proveitosas para seus negócios se destacarem frente aos demais.

Esta pesquisa não é algo surpreendente, mas serve para que você reveja suas estratégias nas mídias sociais ao entrarmos na temporada de compras natalinas e ver onde é possível melhorar em 2020. Boas vendas!

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado