Juros compostos: entenda o que é de uma vez por todas

Essas taxas aumentam muito o valor da dívida com o passar do tempo

Por Emanuel Silva

Os juros compostos contribuem para a inadimplência. Eles aumentam muito o valor da dívida com o passar do tempo. Dessa forma, muitas pessoas se deparam com quantias gigantescas que parecem impossíveis de quitar.

Eles são muito recorrentes no mercado financeiro por gerar um grande lucro, tanto para os investidores quanto para os credores. No entanto, podem dar um grande prejuízo para os endividados. Os bancos utilizam “juros sobre juros” para aumentar o valor da dívida de um inadimplente. É uma forma deles lucrarem com o atraso das parcelas de um empréstimo ou financiamento.

Por isso, ao invés de adotar uma taxa de juros fixa, os bancos preferem que o valor se multiplique. Ou seja, você terá de pagar o valor inicial da dívida mais as taxas de juros mensais. Observe o exemplo abaixo:

Júlia tem uma dívida de R$ 100,00 com juros de 10% ao mês;

No primeiro mês o pagamento deverá ser R$ 100,00 + R$10,00 (100 x 0,10);

Porém, no segundo mês o valor final será R$ 100,00 + R$11,00 (110 x 0,1);

Então, se Júlia deixar de pagar a dívida por 15 meses terminará devendo R$ 417,22 ao banco.

Por conta disso, é possível dizer que os bancos estimulam a inadimplência. Pois, lucram muito mais com os juros compostos do que com o pagamento das contas em dia.

Diferença entre juros simples e compostos

A diferença entre os juros simples e compostos é a variação das taxas mensais. Em outras palavras, os juros simples têm um crescimento linear e são prefixados.

Por outro lado, os compostos são somados aos meses anteriores. Então, o valor final sofre uma grande variação com o tempo. Nesse sentido, quanto antes você quitar uma dívida com esse tipo de juros melhor.

Acompanhe a fórmula dos juros simples a seguir:

Js = C.i.t

– Js = juros simples;

– C = capital inicial;

– i = taxa de juros; ex: 5% = 5/100 = 0,05

– t = tempo.

Agora observe o cálculo para o seguinte exemplo:

Uma dívida de R$ 1.500,00 que deve ser paga em 3 meses com juros simples de 5% ao mês:

– Js = 1.500 x 0,05 x 3;

– Logo, o valor final é de R$1,250,00

Como é feito cálculo?

Em contrapartida, para calcular os juros compostos é necessário considerar a flutuação mensal. Ou seja, a quantia emprestada somada aos juros acumulados em cada período.

Para isso você precisa utilizar duas fórmulas:

Jc = M – C;

Jc = juros composto;

M = montante;

C = capital inicial;

M= C(1i)t;

M = montante;

C = capital inicial;

i = taxa de juros;

t = tempo.

Assim, acompanhe o cálculo do exemplo abaixo:

Uma dívida com capital inicial de R$ 3.000,00 com juros de 2% ao mês por 6 meses:

– M = 3000 (1+ 0,02) 6;

= 3000 (1,126);

M= 3.378;

– Jc = M – C;

= 3.378 – 3000;

Jc = R$378, 00.

Logo, os juros compostos estão diretamente relacionados ao tempo. Então, evite realizar o pagamento mínimo das contas. Tente regularizar a sua vida financeira.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado