Maturidade, comprometimento e produtividade no trabalho

O médico psiquiatra Ítalo Marsili e o especialista em Gestão Corporativa e Recursos Humanos, Henrique Grolla Vido, falam sobre o que está por trás da motivação no trabalho

Por Caroline Sanches

maturidade e produtividade no trabalho
Foto: Pexels

É comprovado que funcionários comprometidos com trabalho, apresentam melhores rendimentos. Qual a razão da baixa produtividade? Para o médico psiquiatra Ítalo Marsili e o especialista em Gestão Corporativa e Recursos Humanos, Henrique Grolla Vido, a maturidade é determinante para que o colaborador internalize o propósito de ajudar e agregar. Eles defendem que pessoas maduras trabalham melhor. Confira a entrevista! 

ÍTALO: Não há como negar que as principais causas da baixa produtividade estão associadas à conduta comportamental do funcionário, e não necessariamente à complexidade das suas tarefas. Quem não consegue lidar com seus próprios dramas interiores terá pouca desenvoltura no cumprimento de seus deveres, mesmo os mais simples. A imaturidade é o que está por trás da falta de compromisso.

De que forma a pandemia influenciou na maneira de trabalho de grandes empresas?

ÍTALO: Se olharmos os aspectos negativos, a pandemia aumentou significativamente o número de trabalhadores com algum tipo de prejuízo na sua estabilidade emocional e psicológica, o que, sem sombra de dúvida, levou a um baixo rendimento nas empresas.

Qual a importância da maturidade dos funcionários em minha empresa?

ÍTALO:  O modo como os funcionários lidam com a pressão externa, bem como a empatia e a escuta ativa no trabalho em equipe, é decisivo para a produtividade da empresa. Se os membros da equipe não conseguem lidar com suas próprias emoções e dilemas pessoais, como conseguirão lidar com as demandas empresariais que, via de regra, são mais exigentes?

Grandes empresas chegaram à conclusão de que o trunfo das equipes de alta performance não é a pressão por resultados, mas a segurança psicológica. Naturalmente, é impossível que o elemento segurança coexista com irresponsabilidade, imaturidade e instabilidade emocional.

Vendo a necessidade de transformar pessoas, como há muito tempo você trabalha, surgiu o Guerrilha Way Company. O que é?

ÍTALO: É isso mesmo, é dessa intuição inicial, de que o amadurecimento da personalidade tem impactos significativos sobre a capacidade de trabalho dos indivíduos, que nasceu o Guerrilha Way Company, um programa de assinatura digital com foco no desenvolvimento pessoal aplicado ao ambiente corporativo. O objetivo do programa é tornar os membros da empresa mais maduros, reduzindo a incidência dos problemas mais comuns ao ambiente laboral.

Como GWCO pode mudar o comportamento das pessoas no meio corporativo?

HENRIQUE: Nada pior para a saúde empresarial do que um ambiente laboral de reclamação, negação de responsabilidades e negligência com as funções. Em circunstâncias assim, mesmo os melhores funcionários tendem a reduzir sua capacidade produtiva, gerando um efeito em cascata no qual cada funcionário passa a produzir muito abaixo de seu potencial. Baixos níveis de produtividade laboral resultam em menor lucratividade para a empresa.

Equipes mais maduras e comprometidas são capazes de alcançar resultados maiores. Assim, o GWCO pretende melhorar a performance financeira da empresa ao tratar do assunto mais sensível ao ambiente laboral: a maturidade dos colaboradores.

Quais são os resultados do GWCO na minha empresa?

HENRIQUE: O resultado mais patente é a evolução no nível de maturidade da sua equipe, decorrente mesmo da leitura e da prática dos exercícios semanais propostos no GWCO. A consequência natural desse amadurecimento é a melhora na conduta dos colaboradores diante de suas próprias responsabilidades e desafios da função.

A qualidade de vida também é fundamental, como o método GWCO enxerga a relação do pessoal e profissional?

HENRIQUE: O filósofo espanhol José Ortega nos presenteou com um verdadeiro “mantra” e que nos dá uma perspectiva completamente enriquecedora. 

Ele nos diz: “Eu sou eu e minha circunstância, e se não salvo a ela, não me salvo a mim”

Embora, a tal “qualidade de vida” tenha uma definição individualizada, de acordo com expectativas próprias de cada um, pra mim, ela só se alcança quando o indivíduo assume uma vida de verdade.

Através do GWCO, o profissional encontra a oportunidade de assumir seu papel, em qualquer circunstância, com maturidade, força, dando uma resposta à vida que não seja de desistência ou reclamação.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado