Prepare seu e-commerce para o Dia dos Pais

Dicas para seu e-commerce vender mais nessa data

Por Bruno Lopes Kerber        

O Dia dos Pais em 2020 vai ser um pouco diferente: por conta da pandemia do novo coronavírus, muita gente não conseguirá comemorar a data junto com a família. Por isso, os varejistas que já estiverem integrados ao e-commerce terão vantagem junto aos consumidores, pois o volume de vendas online deve aumentar.

No ano passado, segundo a Ebit/Nilsen, o comércio eletrônico brasileiro faturou R$ 2,5 bilhões no Dia dos Pais. Por mais incerto que seja o cenário agora, se a tendência dos últimos meses se mantiver, as lojas eletrônicas devem registrar mais um mês de resultados positivos.

Para se ter uma ideia, o Dia dos Namorados, em junho, viu o faturamento subir 112,8% em plena pandemia, de acordo com levantamento do Compre&Confie. Ao todo, foram 15,8 milhões de compras online.

Portanto, preparar o seu e-commerce para o próximo dia 9 de agosto pode significar a diferença entre terminar o balanço no azul ou no vermelho. Mas o que dá para fazer com menos de um mês de antecedência?

Mantenha sua loja no ar

Este é o tipo de precaução que precisa de tempo para ser tomada. Mas, mesmo que falte pouco para o Dia dos Pais, a prioridade técnica deve ser manter seu site sempre funcionando o dia inteiro.

E por que isso é tão importante? Porque as lojas vão registrar um tráfego muito maior do que o normal.

Vamos usar a Black Friday como exemplo, já que essa é a data com maior acesso, disparado, no ano. Em média, trabalha-se com a premissa de que vai haver seis vezes mais visitas ao e-commerce do que em um dia normal, segundo levantamento da Trustvox.

Por isso, comece desde já a testar a capacidade do seu servidor. Só assim você saberá até que quantidade de usuários simultâneos a loja aguentará com a infraestrutura atual.

Caso sua equipe detecte que a estrutura atual não vai segurar a sobrecarga, é hora de pensar nas soluções. Isso varia de loja para loja, mas entre as opções estão contratar maior capacidade no servidor, contratar espaço extra em serviços cloud, aumentar a banda larga e promover otimizações no seu sistema ERP.

Mantenha a logística bem alinhada

O processo de preparação da logística começa já no planejamento para as vendas no Dia dos Pais.

Por exemplo, os prazos que aparecem no menu de fretes, lá no momento do checkout, dependem da sua capacidade de entregas e da quantidade e capilaridade de transportadoras com quem a sua loja mantém parceria. E cada uma tem seus próprios prazos.

Outro fator agravante é a pandemia do novo coronavírus. Em muitas cidades, a circulação de pessoas e serviços é limitada, então o prazo de entrega pode ser maior do que o planejado.

A primeira dica é: não deixe para falar com seus parceiros logísticos na última hora. Mesmo que você venda pelos Correios, converse com o(a) gerente de conta e entenda o que pode ser feito para agilizar o despacho dos produtos. O mesmo vale para transportadoras privadas: qual será o esquema de retiradas e entregas? Vão aumentar a capacidade para a data?

Em segundo lugar, pode valer a pena aumentar um pouco o prazo de entrega informado ao consumidor. Por exemplo, se a loja conseguir enviar o pedido em sete dias úteis, você pode escrever que a entrega será realizada “em até dez dias úteis”, o que lhe permite uma margem para caso o produto atrase.

Aproveite a oportunidade para agilizar o processo de geração de notas fiscais. E isso vale tanto para quem tem e-commerce próprio quanto para sellers de marketplaces, como Mercado Livre e B2W.

Porém, qualquer que seja a sua opção, sempre deixe as informações muito claras no site, especialmente o que for relacionado aos atrasos causados pela pandemia. Muitas vezes, o que irrita o internauta não é ver que a entrega atrasou, mas que não houve preocupação por parte do e-commerce em mantê-lo sempre atualizado.

Mas sabe quem pode lhe oferecer os melhores insights de pesquisa? O seu próprio consumidor.

Todo e-commerce tem uma barra de busca. E, na prática, essa é uma forma de o cliente informar à loja, de maneira proativa, quais produtos quer levar pra casa.

Você começou a perceber, uma ou duas semanas antes do Dia dos Pais, que aumentou muito a quantidade de pesquisas por um determinado item? Então não seria o caso de colocá-lo em evidência, tanto em campanhas de divulgação quanto na estratégia de precificação e de vendas para a data?

Agora, vamos supor que a sua loja queira usar essa oportunidade para queimar estoque. Quais produtos parados podem ganhar um bom desconto e, ao mesmo tempo, são parecidos com aqueles que os seus consumidores buscam no site?

Aproveite a sua própria base de dados para desenvolver um plano de ação assertivo e que, no fim das contas, melhore a rotatividade do seu estoque. E, claro, o caixa da empresa.

Cuidado com descontos, parcelamentos e frete grátis

Essas já são estratégias que precisam ser pensadas (e reavaliadas) o ano inteiro, mas especialmente em datas comemorativas. É nesses períodos que o cliente espera por boas promoções para presentear alguém que se ama, nem que seja a si mesmo.

Mas existe uma frase já conhecida do mercado que diz o seguinte: se for para vender e ter prejuízo, melhor nem vender.

E você sabia que existem vários lojistas que preferem não participar, por exemplo, da Black Friday? Para eles, simplesmente não compensa, e por vários motivos. Pode ser porque ainda são empresas muito pequenas e não aguentam a alta demanda, ou por não conseguirem queimar a margem sem ficar no vermelho, ou simplesmente por não acreditarem no valor dessa data.

Já outra parte decide participar, mas de uma forma diferente: dando preferência à venda de produtos que precisam sair do estoque (e, assim, conseguem aplicar desconto maior) ou deixando parte do catálogo de fora (especialmente os lançamentos, cuja margem é menor).

E isso vale para o Dia dos Pais também. Se você aderir, seja inteligente quando aplicar aqueles benefícios que os clientes mais gostam, mas são justamente os que mais quebram e-commerces: descontos, frete grátis e parcelamento.

A primeira pergunta que você deve se fazer é: qual é o limite até onde minha loja pode ir sem entrar no prejuízo (aliás, de preferência, gerando lucro)? Preciso mesmo aplicar um desconto de 40% em um iPhone 11 e ainda parcelar em 15 vezes sem juros?

Pontos finais

Tá, pode ter sido um exemplo meio extremo, mas ele ilustra meus pontos aqui:

Nem todos os seus produtos precisam estar no portfólio de vendas do Dia dos Pais. Dar grande desconto em lançamento, inclusive, só vai ajudar sua loja a falir;

Cuidado com quanto você queima de margem. Não precisa entrar no prejuízo só porque os concorrentes estão dando descontos gigantescos. Até porque faz parte da estratégia de muitos dos grandes e-commerces ficar no vermelho, mas conquistar market share;

Cuidado com o parcelamento. Realmente, produtos muito caros, como smartphones ou TVs, precisam de parcelamento, mas cuidado com a quantidade de parcelas. Você pode variar conforme o preço: acima de “X” reais (sendo “X” um valor alto o suficiente para valer a pena para a loja), pode parcelar em “Y” vezes.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado