A importância de um social selling ter um ‘rosto’

Profissional comenta a importância do vendedor digital e lista 5 dicas para construir estratégias eficientes que geram vendas pelas redes sociais 

Por Erica Mendes

Foto por: rawpixel.com em freepik.com

Você sabia que cerca de 78% dos consumidores consideram importante o papel do vendedor digital para ajudar na escolha de um produto em uma compra online? Segundo Felipe Frade, coordenador de marketing da Bornlogic, mesmo com o crescimento do e-commerce, nós ainda somos muito ligados na figura do vendedor. Por isso, ter um rosto conhecido durante o processo de compra é significativo para a experiência do cliente nos canais digitais. “O social commerce (e todo o social selling) deve e precisa ter um rosto para se conectar com o cliente. Isso o ajudará a ter a melhor experiência possível”, afirma o profissional.

E por que um social selling precisa ‘ter um rosto’?
De acordo com Frade, social selling pode ser definido como o uso das redes sociais para construir relacionamento com o público, buscando prospectá-lo para uma venda ao evidenciar o quanto você atende uma necessidade real. “Você pode fazer isso selecionando um público-alvo de 26 a 36 anos, por exemplo, que está próximo da sua empresa para divulgar uma ação promocional. Ou então, selecionar um grupo com características específicas para receber o anúncio do seu produto que está sendo vendido para perfis semelhantes”.

O social selling oferece diversas possibilidades, mas para alcançar bons resultados é preciso ter estratégias eficientes. Veja as dicas de Frade:

Foco no consumidor:
É necessário prestar atenção naquilo que o cliente precisa, não forçar uma venda para quem não quer comprar. O foco sempre deve ser o seu cliente e as necessidades dele.

Proximidade com o consumidor:
É preciso gerar identificação no consumidor para conseguir abertura com ele. Adotar uma comunicação humanizada é fundamental para cativá-lo.

Confiança do consumidor no vendedor e na marca:
Quando alguém resolve o seu problema, essa pessoa se torna seu amigo. E você passa a confiar nessa pessoa.

Personalização da experiência de compra:
Para que haja a geração de demanda, é fundamental fazer o consumidor se identificar com a oferta. Isso só será possível se a experiência estiver direcionada ao contexto dele.

Contexto para o consumidor:
Uma comunicação institucional, produzida em grandes centros como São Paulo ou Rio não tem aderência em outras regiões como sul ou nordeste. Dê contexto ao seu consumidor, com uma comunicação local.

“Como você vê, proximidade é algo fundamental para quem quer atender uma necessidade real e conquistar a confiança de um consumidor. É justamente por entregar esse combo que as estratégias de social selling fazem tanto sentido — porque personaliza a experiência e “dá um rosto” para a sua venda”.

“No relacionamento pelas redes sociais, vendedor e consumidor são dois indivíduos que trocam experiências para resolver um problema. Aqui, a interação humana, com comunicação local, personalizada e contextualizada gera uma infinita conexão”, finaliza Felipe Frade.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado